Pesquisar neste blog

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Falsos profetas, cegos, ou simplesmente valorizadores da simplicidade? (Mt 23,13-22) (25/08/08)

Falar do evangelho de hoje é falar dos falsos profetas que, como os mestres da Lei e fariseus hipócritas, muitas vezes não conseguem passar pela porta estreita do Reino dos Céus e mais do que isto, arrastam consigo aqueles que tinham intenção, ou ao menos a esperança, de passar por esta porta. O Reino dos Céus é algo desejado por todos os cristãos, mas só é possível vislumbrá-lo quando agimos com atitudes merecedoras de tamanha recompensa: amor, mansidão e paz. Ai daqueles que resgatam vidas para Cristo, mas, antes mesmo que estas estejam plenamente enraizadas no verdadeiro amor, as tornam iguais a si nos falsos testemunhos, falsas palavras e falsas atitudes. Não por desconhecerem as palavras de Deus ou o amor do Cristo, mas por estarem cegos diante dos "ouros e tesouros" da vida. Desta forma, estas pessoas ao invés de guiarem os amigos para os caminhos de Cristo, os arrastam para os interesses mundanos, disfarçados por uma bela capa e de santidade. De que vale encantar-se pela imagem, entretanto não ser capaz de valorizar o interior das pessoas. Afinal, o que no fim das contas resta? "Insensatos e cegos! O que vale mais: o ouro ou o Templo que santifica o ouro?" "Cegos! O que vale mais: a oferta, ou o altar que santifica a oferta?" O que fornece mais beleza a imagem exterior é a força e potencialidade que emana do ser, da alma do interior. De que vale valorizar o ouro e perder o Reino dos Céus? Seja este reino um verdadeiro amigo, uma família amorosa, um trabalho gratificante, um filho saudável... e tudo que possamos imaginar de bom que o dinheiro não pode comprar!

 

Manuele Jardim Pimentel

manuelejp@hotmail.com

www.reflexaoliturgiadiaria.blogspot.com



Notícias direto do New York Times, gols do Lance, videocassetadas e muitos outros vídeos no MSN Videos! Confira já!

9 comentários:

  1. Reflexão curta, mas que traz o principal: testemunho. Quem conhece Manu, sabe que ao escrever, ela devia estar visualizando aquelas pessoas que estão na linha de frente dos movimentos e grupos religiosos, que têm o dom de atrair tanta gente pra perto de Deus, mas que também não conseguem ser fiéis e constantes no Caminho da Verdade... se deixam seduzir pelos "encantos do mundo"... e acabam afastando tantas daquelas pessoas que tinham conquistado para Deus...
    Parabéns pela reflexão! Parabéns pela coragem!

    ResponderExcluir
  2. A palavra de Deus nos é dirigida de forma clara e forte, precisamos combater com o bom combate este tipo de atitude que se depara conosco diariamente.Estejamos de prontidão para a batalha!Lembrando sempre que somos servos e amigos de um Deus que nos liberta.
    Parabéns Manu pela audácia da reflexão!

    ResponderExcluir
  3. Manu, gostei de sua denúncia. O verdadeiro profeta não é só aquele que anuncia mas também aquele que denuncia e fazendo isso de arrisca pela verdade. Ao ler esse Evangelho lembrei-me que tantas vezes indiquei comportamentos aos outros e eu mesmo fui fraco e não os vivi. Esse "ai" de Jesus me arrepiou! Obrigado por sua reflexão!

    ResponderExcluir
  4. JUSTIÇA A TODOS.
    Esta crônica não está de maneira nenhuma se relacionando pejorativamente a nenhuma entidade religiosa
    Ela somente terá a incumbência de abrir nossos olhos para as injustiças cometidas por nós seres humanos, principalmente nós cristãos.
    Em primeiro lugar, falamos de Jesus Cristo, um homem sábio, muito evoluído e audacioso para sua época. Seus feitos foram extraordinários, seus ensinamentos foram sem duvida muito significativo. Suas parábolas trouxeram mudanças profundas na nossa maneira de viver. Segundo relatos, foram feitos por ele centenas de milagres, isso ninguém discute são fatos reais os quais são relatados no novo testamento. Agora vamos fazer um paralelo, uma comparação entre Jesus e outros homens de grande talento que surgiram na terra. Por exemplo, enquanto Jesus fez centenas de milagres salvando pessoas as beiras da morte ou com grandes dificuldades. Alexandre Fleming salvou milhares, e milhares de seres humanos da morte certa com a descoberta da penicilina. Pessoas com infecções sem esperança de cura passaram a serem salvas, e a penicilina abriu caminho para outros antibióticos os quais continuam salvando seres por todo planeta terra. Podemos falar também de Luiz Pasteur, que através de suas pesquisas descobriu a vacina anti-rábica. Através desta descoberta, milhares e milhares de seres foram salvos da morte certa e muito dolorosa. Enquanto Jesus salvou centenas de paralíticos, Sabin descobriu a vacina contra a paralisia infantil, com isso salvou milhares e milhares de crianças a se tornarem paralíticas. Alem destes há também Osvaldo cruz, Vital Brasil, Robert Koch descobridor do bacilo da tuberculose e muitos outros médicos e cientistas pesquisadores os quais dedicaram suas vidas na luta contra as varias doenças que assolavam nosso planeta.
    Há também filósofos, educadores e muitos outros nomes importantes no desenvolvimento intelectual da espécie humana.
    Vamos agora, ao porque de toda essa explanação. Está no fato de o nome de Jesus ser amplamente divulgado, não só divulgado, mas vergonhosamente explorado, e estes outros grandes homens também super importantes, seus nomes caíram completamente no esquecimento.
    É fácil de entender a mídia não se preocupa em divulgar os nomes destes homens, porque esta divulgação não gera lucros e o capitalismo vive de lucros quanto mais lucro melhor.
    Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro, Crônicas, indagações e teorias. Editora Scortecci.

    ResponderExcluir
  5. Manifestação religiosa.

    A manifestação religiosa, ou seja, a busca de um Deus exercida pelos seres humanos, dizem os entendidos que esta manifestação se dá porque existe dentro de nós uma chama flamejante e divina a qual nos impulsiona a crer em um ser superior e criador do universo como um todo.
    Eu particularmente não acredito em nenhuma chama flamejante interna nos levando para esta manifestação.
    Em primeiro lugar se o ser humano fosse eterno não houvesse a morte, ou seja, o fim da vida, esta manifestação, esta chama flamejante nem faria parte do nosso vocabulário, também não faria parte do nosso intimo. O que acontece na verdade é que o ser humano morre de medo só de pensar na morte, e como será alem dela. Todos nós sabemos que ela é impossível de ser evitada. Diante desta preocupação com o alem tumulo e que leva os seres humanos a buscarem alguma coisa na sua imaginação, ou ainda nos ensinamentos vindo de pessoas que professam religiões, mesmo que estes ensinamentos não sejam verdadeiramente provados, eles acreditam para aliviar um pouco as suas preocupações com o futuro incerto. Sendo assim eles se contentam com uma fantasia qualquer para aliviar suas duvidas e amenizar o medo mórbido da morte.
    A maioria das pessoas irão se arrepiar com esta crônica, irão dizer que é uma escabrosa heresia, mas estou tranqüilo porque, ela está baseada em raciocínio lógico e coerente, é só analisá-lo friamente sem a interferência de dogmas religiosos.
    O que leva a maioria dos seres humanos a buscarem as religiões não é nada mais do que buscar ajuda para problemas de saúde, de dificuldades financeiras, ou por problemas de foro intimo. Observem buscar ajuda: Ninguém se preocupa em levar ajuda para ninguém, pensam somente em angariar vantagens, isso é próprio do nosso egoísmo
    Pessoas, sem os problemas relacionados acima, dificilmente são freqüentadoras assíduas de templos religiosos. Elas freqüentam bem moderadamente sem muito fanatismo, muitas vezes, somente para fazerem se passar por pessoas cheias de moral, para mostrarem que são tementes a Deus, mas o egoísmo, maledicência, orgulho, arrogância e o individualismo continuam intactos na consciência sem nenhum progresso.
    O progresso tecnológico executada pela mente humana caminha rapidamente para um futuro promissor, continua avançando a passos largos, mas infelizmente a moral humana continua caminhando para traz, sempre retrocedendo. Continuando assim a moral humana que dizem ser a essência de Deus estará voltando lá para a idade da pedra.
    Paulo Luiz Mendonça, autor do livro Crônicas Indagações e Teorias. Editora Scortecci.

    ResponderExcluir
  6. Livros Sagrados.
    Quanto mais vivo neste planeta, mais bobagens ouço falar. Os partidários da Bíblia Sagrada, falam com uma convicção tão entusiasmada sobre a veracidade do seu livro, como se eles estivessem participado efetivamente da elaboração do mesmo. Ora este livro foi escrito a tanto tempo, nem se sabe verdadeiramente se foi escrito por profetas ou por pessoas comuns. Outra coisa muito importante, todo estes anos A Bíblia teve varias traduções, em todas Houve varias modificações, às vezes por dificuldades de interpretar certas palavras, e na maioria das vezes por interesse de quem a esta traduzindo. A Bíblia Sagrada, não é a única, existem muitos outros livro sagrados. Temos o alcorão, livro islâmico, temos os Vedas livro da religião da Índia, e muitos outros livros sagrados espalhados pelo nosso planeta. Para mim, ignorar os livros sagrados das outras religiões, e dar crédito somente a nossa Bíblia não passa de interesses particulares e mesquinhos. Deus não é monopólio somente de quem acredita na bíblia Sagrada, Deus se existir realmente ele está a disposição de todos os religiosos da terra e não apenas de um ou de outro grupo. Temos que dar um basta neste jogo de interesses que há no comportamento humano. Temos que praticar mais o amor ao próximo, eliminar de nós o egoísmo, a maledicência, o orgulho, a hipocrisia, o individualismo e muitos outros defeitos que são heranças malditas de todos nós seres humanos. Temos que ter bom senso, refletir com seriedade, todos nós estamos no mesmo barco da incerteza, por isso temos que ser coerentes e remar todos na mesma direção, assim chegaremos mais rápido ao destino desejado, se continuarmos sendo individualistas querendo levar vantagens em tudo não chegaremos a lugar nenhum. Se somos filhos de um mesmo Deus, para que a discórdia, afinal somos todos irmãos, por isso temos que nos irmanarmos para um só propósito, buscar e encontrar a paz e a felicidade tão almejada por todos..

    Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro, Crônica, Indagações e Teorias. Editora Scortecci.

    ResponderExcluir
  7. Prosperidade.

    Procurando prosperidade em igrejas evangélicas: Deixem disso, prosperidade tem que ser conseguida por nossos próprios esforços, temos que estudar com afinco, procurar aprender uma profissão, batalhar e, sobretudo levantar cedo, Pois Deus ajuda quem cedo madruga. Subornar Deus com dinheiro dado as igreja para ter prosperidade, isso é um absurdo, Acho que podemos até chamar isso de estelionato contra o criador, Ora deixemos Deus em paz cuidando dos incapacitados, das criancinhas indefesas, dos idosos abandonados, os fortes e cheios de saúde tem que se virar por si próprio, mãos a obra minha gente, mais uma vez digo deixem Deus em paz.

    Paulo Luiz Mendonça. Autor do livro Crônicas Indagações e Teorias. Editora Scortecci.

    ResponderExcluir
  8. POBRE ANIVERSARIANTE.

    Um dia, um homem se encontrava na noite de natal, em uma pequena cidade, quando viu uma casa ricamente enfeitada, toda iluminada, observando esta bela casa pela janela, ele viu que havia uma grande árvore muito bonita, toda enfeitada com milhares de lâmpadas; a árvore tinha em sua base muitos pacotes de presentes, em torno da mesma, muitas pessoas bebiam e comiam ao som de alegres músicas, todos estavam muito alegres e felizes. Do lado de fora desta mesma casa, havia um garoto sentado no primeiro degrau da escada que havia em frente à casa, pelo seus trajes se via que era muito pobre. O homem se aproxima do garoto, notou que ele estava muito triste, seu semblante era de alguém que fora abandonado, o homem se aproxima, senta-se a seu lado, pega em sua mão e diz.
    —Como está, filho? Você parece estar muito triste.
    —Sim estou muito triste! Porque toda essa tristeza? Tudo hoje é alegria, é dia de natal, hoje se comemora o nascimento de Jesus Cristo. Nesta data, todos nós devemos estar alegres, outra coisa todos estão festejando, porque não foi também em alguma festa.
    —Bem que gostaria, mas não fui convidado por ninguém.
    —Menino, diga-me seu nome e te apresentarei ao dono desta casa, eu o conheço e você poderá participar desta bonita festa.
    –Não adianta dizer meu nome,
    –Porque não adianta dizer seu nome?
    –Porque todas as pessoas desta casa me conhecem a longo tempo e muito bem, sabem também que faço aniversario hoje, não só elas, mas todos desta cidade, todos deste estado, todos deste país e muitas outras pessoas deste planeta, até o senhor me conhece, o homem pensativo abaixa a cabeça, muito envergonhado, diz
    —Sim garoto! Acho que você tem razão não adianta mesmo dizer seu nome!

    Esta crônica foi extraída do livro, Crônicas, indagações e teorias. Autor Paulo Luiz Mendonça. Editora Scortecci.
    http://pauloluizmendonca.judblog.com

    NOITE DE NATAL

    Natal é noite feliz
    É o que todo mundo diz
    Nesta comemoração.
    Nem todos têm alegria
    Em alguns a tristeza estaria
    Ferindo seu coração.

    Quem tem amigos distantes
    Ou quem tem a vida errante
    No natal não tem tal calma
    Quando o sino bate a noite
    Recebe no ouvido um açoite
    Que fere dentro da alma.

    Eu que vivo assim sofrendo
    Com o coração remoendo
    Nas tristezas que vai e vem.
    Com o pensamento errante
    Procuro por Cristo distante
    Indo parar em Belém.

    RECORDAÇÃO DO NATAL

    Em uma triste noite fria
    Escuridão alucinante,
    Parei fiquei em silêncio
    Ouvindo o sino bater
    Em uma capela distante.

    O sino que repicava
    Enviando no ar um sinal.
    Fiquei triste neste momento
    Veio-me logo na mente
    Recordações do natal.

    Sozinho onde eu estava
    Bem longe dos entes queridos
    Nesta hora eu me encontrava
    Solitário neste mundo
    Todos já tinham partido.

    Estas poesias foram extraídas do livro Crônicas Indagações e Teorias, autor Paulo Luiz Mendonça. Editora Scortecci.

    ResponderExcluir
  9. Email, pauloluiz41@hotmail.com

    Reflexões sobre o comportamento humano.

    Nós seres humanos temos vários defeitos, os quais são, foram e sempre serão incorrigíveis, salvo as raras e honrosas exceções.
    A nossa desonestidade é tão intensa que é preciso ter leis para reprimi-las, e fiscalização intensa para que as mesmas sejam cumpridas. Se fossemos todos honestos não precisaríamos ter leis nem regras para a convivência humana, bastaria todos seguirem o preceito (amar o seu próximo como a ti mesmo) assim tudo estaria resolvido, mas na prática isso não acontece, pois a quase dois mil anos esta frase foi ensinada por Jesus Cristo, mas até hoje não conseguiram aprender nem colocá-la em prática mesmo freqüentando os templos religiosos semanalmente e alguns mais fanáticos até diariamente.
    É fácil fiscalizar nossa conduta? Não, é extremamente impossível porque somos essencialmente desonestos. Usando como parâmetro, observe uma partida de futebol, a mesma tem regras próprias chamadas de regulamento a qual da direitos iguais para cada time, como são aplicadas estas regras, para isso usamos um juiz dois bandeirinhas para fiscalizarem vinte e dois jogadores e ainda um estádio lotado e mais milhares de telespectadores para fiscalizarem as ações do juiz e bandeirinhas, mesmo assim com todo este aparato ainda acontece algumas falhas nas regras do futebol.
    Já pensaram na dificuldade de fiscalizar o cumprimento das leis em um pais com quase duzentos milhões de habitantes, fiscalização esta feita por fiscais que não tem ninguém a fiscalizá-los, acham vocês que é possível fazer com que cumpram as leis ao pé da letra? Outro fato agravante na humanidade são as leis morais, estas não dependem de fiscalização somente externas depende mais da fiscalização da nossa própria consciência, ai entra a dificuldade mais premente que é lutar contra o egoísmo, individualismo, arrogância, maledicência e muitos outros defeitos inerentes a todos nós seres humanos. Finalizando, todos nós sabemos que a humanidade caminha a passos largos por uma trilha perigosa e irreversível, a qual não temos nenhuma noção de onde irá parar. Se continuarmos seguindo este caminho que é orientado pelo individualismo e um consumismo desenfreado o mesmo fatalmente está, sempre esteve e sempre estará nos levando a uma falsa felicidade.
    Paulo Luiz Mendonça.

    ResponderExcluir