Pesquisar neste blog

Carregando...

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Parábola da vinha (Mc 12,1-12) (01/06/09)

Jesus inventou estórias que receberam o nome de parábolas, para explicar a sua mensagem ao povo simples, sobre como deveriam fazer para merecer o reino eterno. Com essas parábolas, ficava muito mais fácil do povo entender o que Ele queria dizer. Evidentemente, Jesus poderia se expressar com um palavreado todo  complicado, rico mais difícil de entender.

Irmãos. Que a nossa homilia, que é uma catequese, não seja uma rajada de palavras difíceis que passarão por cima da cabeça dos fiéis sentados nos bancos da igreja a olhar para você sem entender absolutamente nada. Já tive um professor assim. Ele memorizava (para não dizer "decorava") muitas palavras difíceis e as bafejava em cima dos alunos. Alguns ficavam se sentindo uns vermes porque achavam que era por ignorância própria o fato de não entender. Outros, como eu, ficávamos revoltados e denominamos aquelas tais aulas de "enrrolação geral".  Isso não é dar uma bola aula, mas sim, puro exibicionismo intelectual, que não leva a nada, pelo fato de não ter atingido o público ouvinte, de não ter comunicado ou transmitido o conhecimento, como alguns sermões que já tive o desprazer de ouvir.   Nossa catequese tem de ser clara, objetiva, simples, com dinâmica, e acima de tudo, penetrante. Ela tem de balançar o ouvinte. Tem de tocá-lo profundamente, com palavras simples do dia-a-dia, da sua experiência vital. Seria uma afronta, falta de amor fraterno, e anticristão, usar um palavreado difícil quando me dirijo ao povo simples de uma comunidade semi-distante dos grandes centros. Mesmo nos dirigindo a universitários, podemos aqui e ali, usar palavras que "rolam" na boca do povo.

Mas, qual é mesmo a mensagem que está por trás desta parábola? O que mesmo que Jesus queria dizer? Bem. Ele aqui está criticando os chefes religiosos do templo de Jerusalém, sacerdotes e proprietários de terras. Na aplicação da parábola, entendemos assim: Deus é o proprietário da vinha. A vinha, é o povo amado por Deus. Os agricultores violentos são os chefes religiosos, que oprimem, exploram o povo e procuram eliminar quem busca libertação. Tanto é que eles entenderam que Jesus estava falando deles. E irritados, procuraram prendê-lo.

Esta parábola, também pode ser lida assim: Deus é o dono da vinha; A vinha é o mundo; Os empregados enviados  à vinha são os profetas que foram mortos, o filho do dono da vinha é Jesus.

Então. Deus mandou ao mundo seus enviados, os profetas que foram mortos.  Em seguida, Deus manda ao mundo seu próprio filho, que também foi morto. O que Deus fará com aqueles que fizeram isto?

 

Sal

Clique aqui e conheça: CATEQUESE ATUAL

www.reflexaoliturgiadiaria.blogspot.com



Nenhum comentário:

Postar um comentário