Pesquisar neste blog

Carregando...

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Não pode um cego guiar outro cego (Lc 6,39-42) (11/09/09)

Você já reparou como nós somos especialistas em corrigir as pessoas? Em apontar os seus erros como se fôssemos perfeitos?  Já reparou na cara e na postura do gerente,  do diretor, do comandante, e até mesmo do professor?  Todos fazem uma cara de quem sabe tudo, de quem é perfeito de quem nunca cometeu nenhum errinho...

Nem sempre nos preocupamos em corrigir nossos próprios defeitos, e apresentamos como modelo de perfeição que deve ser seguido pelos demais. No evangelho de hoje Jesus está denunciando essa nossa pretensão inconseqüente. A pretensão de querer guiar os outros, sem estar apto para isto, é igualzinho a um ego que fala para o outro cego. Não esquenta. Deixa que eu vou te guiar. Vem comigo que eu te levo até lá. Vão é cair no próximo buraco.

Outro grande defeito nosso é a grande capacidade de perceber as limitações e os pecados das outras pessoas. Reparou que nas brincadeiras entre nós constantemente estamos mostrando os defeitos dos colegas? Principalmente se temos inveja de alguém.  Na rodinha da conversa durante o almoço, durante o intervalo, a tônica é apontar brincando, é claro, os defeitos e as coisas erradas que os companheiros fazem.

Se por um lado isso é bom, porque nós não enxergamos os nossos defeitos, e assim vamos procurar melhorar quando alguém nos aponta as nossas falhas, isso magoa muito principalmente quando temos uma grande falha. Suponhamos que um dos funcionários seja gago. Na hora do lanche, um engraçadinho começa a imitá-lo. Ele pode até levar na brincadeira, mais por dentro aquilo está lhe cortando, lhe magoando muito, porque ele não é assim porque o quer.

 Uma coisa que acontece muito na sala de aula, e na vida em geral, é o seguinte: Um aluno ou um funcionário tem pouca inteligência e por isso enfrenta grande dificuldade para entender as matérias e para fazer os exercícios, provas e ou executar as tarefas no setor de trabalho. E por causa disso os demais fazem chacotas, piadinhas, cochichos, como se aquela pessoa tivesse culpa de não ser inteligente como os demais. Se você tem o hábito de participar dessas rodinhas, pare com isso. Porque a pessoa que  é criticada por não ser inteligente sofre demais! Em vez de " tirar o sarro" , procure ajudá-la, procure impedir que os demais fiquem apontando os seus erros. Afinal, você é cristã, você é cristão e tem de dar bom exemplo não só dentro da igreja, mais na sala de aula, no ambiente de trabalho,  na rua etc.

 

Sal   

sal.salvideo@gmail.com 

CELEBRAÇÃO DA PALAVRA

http://reflexaoliturgiadiaria.blogspot.com/



Nenhum comentário:

Postar um comentário