Pesquisar neste blog

Carregando...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Jesus liberta-nos do demônio (Lc 11,15-26) (09/10/09)

        Não adianta. Jesus tinha resposta para todo tipo de insinuação ou de pergunta. Maldosa, maliciosa, de segundas intenções, e também perguntas sinceras. Seus oponentes, que viviam diretamente buscando um ponto de contradição em sua pessoa para incriminá-lo, o acusam de estar expulsando o demônio pela força de Belzebu.  E Jesus responde: Se o reino de Satanás tem grupos que lutam entre si, como continuará a existir? Vocês dizem que é Belzebu que me dá poder para expulsar demônios. ...Na verdade é pelo poder de Deus que eu expulso demônios, e isso prova que o Reino de Deus já chegou até vocês.  Satanás seria muito burro se desse poder a alguém para expulsar outro satanás que tivesse se incorporado em alguma pessoa.

         Jesus libertava  as pessoas do poder maligno do demônio, assim como nos liberta hoje dos nossos pecados através do poder dado por Ele aos sacerdotes de nos perdoar. "Aqueles a quem vocês perdoar, serão  perdoados. E aqueles a quem vocês não perdoar,não serão perdoados."

        É maravilhoso poder contar com o perdão dos nossos pecados periodicamente. Pois caímos todos os dias. Por mais santos que sejamos, estamos sempre  rodeados de tentações, num mundo desnudo e cheio de sensualidades, num mundo que faz questão de nos convencer de que a satisfação do prazer a qualquer hora com qualquer pessoa, é coisa natural como matar a sede. Somos também levados a cometer faltas leves, ou mesmo graves no nosso dia-a-dia, na convivência com nossos semelhantes, os quais nem sempre são pessoas justas e cristãs. E por isso, sempre que somos lesados em nossos direitos, sempre que somos injustiçados, incomodados, não podemos simplesmente ficar de braços cruzados só por que somos cristãos. É nosso direito de nos defender. E nessa hora, sem querer, podemos cometer também alguma injustiça, exagerando no nosso extravasamento de ira e revolta, podemos cometer algum pecado.

        Mas depois da tempestade, depois que nos acalmamos e procurar nos reparar de alguma forma com nossos irmãos, seja pedindo desculpa, ou simplesmente reatando o diálogo, ou se não der naquele momento, esperar um tempo para a raiva passar, depois reatamos o relacionamento, que às vezes poderá até ser melhor que antes, pelo fato de se ter tirado a diferença.

        Somos libertados do pecado por Deus, em Jesus na pessoa do sacerdote, para sermos agentes da transformação deste mundo em um mundo novo, em que a ambição do dinheiro que promove o horror da guerra, da pornografia, do sexo livre, da violência, ceda lugar à fraternidade, à partilha e à paz.

 

Sal  

HOMILIAS  E CELEBRAÇÕES

http://reflexaoliturgiadiaria.blogspot.com/ 



Um comentário:

  1. PARABENS PELA REFLEXÃO!
    TEOLÓGICA, SIMPLES E APLICÁVEL PARA NOSSOS DIAS.

    PE. SÉRGIO

    ResponderExcluir